a menina do bloco

10/29/2008

Cordel

Atenção sinhô e sinhora,
Cabra macho, mulé braba
Duvido q'ocês cunheça
É certo que empalideça
Só de nos ouvir falar
D'uma arte de versejar

Que veio de Portugal
Pousar em terras tupi
E jamais saiu daqui
Mesmo sendo marginal

Nunca se viu nada igual
Nem por todo o Brasil
Uma marra feito essa
Pior do que promessa
Para São Judas Tadeu
Suassuna defendeu
Como arte mais completa
Com canto, letra, desenho
Cordelista é só empenho
Da poesia é atleta

*Em parceria com Ana Elisa Santana, para a revista Campus Repórter

1 Comments:

Anonymous DÉA said...

Cadê meu cordel? Adoro cordéis :)

11:43 AM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home